22 de março de 2019

Conceitos de tecnologia e inovação são aplicados no desenvolvimento da exposição interativa Mulheres que Resistem, em Porto Velho

Como parte da campanha Agora é Que São Elas – Mulheres que Resistem, uma sala sensorial foi montada no 1º piso do Porto Velho Shopping, onde são abordadas violências, abusos e assédio a mulheres, por meio de imagens, mensagens, sons, entre outros elementos, que demonstram situações vividas por mulheres diariamente.

Na montagem dessa sala, o professor de Robótica do Colégio e Curso Sapiens, Matheus Alves, foi responsável pela consultoria e elaboração de três itens. Um deles é um urso de pelúcia, que quando o visitante aperta uma das mãos, ouve uma frase relacionada a padrão estético de beleza.

Outro item é um vídeo interativo, que mostra na tela a cena de uma mulher sendo vítima de violência doméstica. Ao final, o expectador é questionado se interferiria ou não em uma situação de agressão. O vídeo mostra um final diferente para cada opção de resposta.

Outra intervenção diz respeito a um painel com frases e telefones que tocam constante e simultaneamente. Ao atender, o visitante ouve pedidos de ajuda ou denúncias de mulheres. Abaixo, uma relação de telefones de denúncias e suporte às vítimas também é demonstrada.

A exposição convida ainda á uma reflexão sobre assédios e frases machistas muitas vezes naturalizadas nos mais diversos ambientes sociais, e que carregam violências psicológicas a traumas. Em uma grande vitrine, sob a pergunta “O que você já deixou de fazer por ser mulher?”, mulheres relatam diversas dessas situações.

Matheus conta que os conceitos aplicados na criação das peças da exposição vão de encontro a cultura de inovação, trabalhada com os alunos em sala de aula, onde  principal objetivo é melhorar a vida das pessoas. “Não adianta algo ser extremamente tecnológico, se ele não tiver um impacto, uma relevância social”, reforça, completando que os alunos são incentivados a pensarem soluções criativas levando em consideração essa relevância social, pensando em problemáticas reais do dia a dia, como o próprio bullying no ambiente escolar.

Assessoria de Comunicação

Compartilhe